quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Temer critica abuso de autoridade após pedir suspeição de Janot


Reuters

Menos de 48 horas após pedir a suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Michel Temer falou em "harmonia entre poderes" e criticou indiretamente o PGR ao falar em "abuso de autoridade"; "A única figura que tem autoridade no nosso sistema é a lei. Quando se ultrapassa os limites legais é que há abuso de autoridade", disse; na última terça, os advogados de Temer pediram que Janot fosse afastado dos inquéritos que investigam o peemedebista; no mesmo dia, Temer teve uma reunião fora da agenda, às 22h, com a sucessora de Janot, Raquel Dodge; em seu discurso durante evento da AGU, Temer também falou que o início dos anos 80, quando trabalhava como procurador em São Paulo, eram "mais tranquilos"; no período, o Brasil vivia sob a ditadura militar


247 - Menos de 48 horas após pedir a suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, referente aos inquéritos nos quais é investigado, Michel Temer criticou indiretamente o PGR ao falar em "abuso de autoridade".

"A única figura que tem autoridade no nosso sistema é a lei. Quando se ultrapassa os limites legais é que há abuso de autoridade", disse Temer em discurso durante um evento da Advocacia Geral da União. "A lei é que deve imperar em todos os momentos", completou.

Na última terça-feira 8, os advogados de Temer pediram que Janot fosse afastado dos inquéritos que investigam o peemedebista alegando que ele estaria agindo de forma parcial e movido por razões pessoais.

Na noite do mesmo dia, Temer teve uma reunião fora da agenda, às 22h, no Palácio do Jaburu, com a sucessora de Janot na PGR, a subprocuradora da República Raquel Dodge.

Durante o evento, Temer também disse que o Brasil possui uma federação "capenga". "Nossa federação é uma federação capenga, ela não é verdadeira. Ela é artificial. Tanto que a autonomia dos estados é muito restrita no nosso sistema. Sempre foi assim, em todos os movimentos. Para que possamos romper esse ciclo histórico que fataliza, para usar um neologismo, nosso sistema político e jurídico", disse.

E recordou com saudade do início dos anos 80, quando atuava como procurador-geral do Estado de São Paulo e o Brasil vivia sob o regime da ditadura militar. "Quero dizer da minha satisfação de estar aqui e, convenhamos, para recordar um pouco os bons tempos de 82 e 83 quando o mundo, pelo menos para mim, era mais tranquilo", descreveu.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/311077/Temer-critica-abuso-de-autoridade-ap%C3%B3s-pedir-suspei%C3%A7%C3%A3o-de-Janot.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário